Maior planetário de MG é inaugurado no Centro de Ciências da UFJF

Equipe apresenta Planetário aos servidores da UFJF (Foto: Alexandre Dornelas/UFJF)

Expectativa da instituição é receber 60 mil pessoas por ano nas sessões. “Agora estamos 100%”, comemorou diretor do espaço.

O maior Planetário de Minas Gerais será inaugurado em Juiz de Fora nesta sexta-feira (16), no Centro de Ciências da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A expectativa é que o local seja visitado por 60 mil pessoas por ano.

A estrutura pode ser visitada na manhã desta sexta pela imprensa e autoridades. A partir do dia 20 de março, o público geral poderá comparecer ao Planetário, após agendamento pela intenet.

De acordo com o diretor do Centro de Ciências, professor Elói Teixeira, a inauguração do Planetário representa a conclusão de todo o projeto e a realização de um sonho de moradores e pesquisadores da cidade.

“Agora estamos 100%. Era a última etapa do Centro de Ciências, que inauguramos em 2017 com as demais atividades. Faltava o que a população mais esperava: o Planetário fixo. Tivemos durante oito anos um planetário inflável, mas aguardávamos essa obra desde 2010. Depois de muita luta, conseguimos realizar o sonho e entregar para a UFJF e para a comunidade”, analisou.

O espaço, que é dedicado à Astronomia e deve receber e divulgar ciência para visitantes de todas as idades e origens foi comemorado pelo coordenador de Astronomia e responsável pelo Planetário, Cláudio Teixeira.

Quando a gente compreende melhor as cosias, a gente tem uma visão mais ampla. Deixa de ser manipulado e passa a ter autonomia do pensamento encontrando a liberdade de pensar a respeito de coisas que a gente nunca se atreve perguntar e entender. Por isso, a Astronomia é importante.

Cúpula do Planetário do Centro de Ciências da UFJF (Foto: UFJF/Divulgação)

Estrutura diferenciada

Com capacidade para 90 pessoas, o setor possui uma cúpula de 12 metros de diâmetro, poltronas reclináveis e equipamentos de ponta para permitir uma imersão do público na experiência.
De acordo com a UFJF, a projeção será feita por o equipamento óptico Skymaster ZKP 4. A descrição oficial mostra que o aparelho possui capacidade de projetar, do norte ao sul, aproximadamente 7 mil estrelas, para não sobrecarregar a visão humana. O modelo também é mais realista do que os anteriores, com seus sistemas de controle e de operação inteligente integrados ao seu software astronômico.

“É um ambiente simulado, um cinema, uma projeção diferenciada em uma cúpula. O público ficará imerso nas imagens, verá estrelas, planetas de outra perspectiva que a do Observatório, onde a pessoa vê o objeto real. Não tenho dúvidas de que as pessoas vão se surpreender com um espetáculo fantástico em um espaço cientifico sem igual”, explicou Teixeira.

De acordo com o diretor do Centro de Ciências, a previsão é de realizar 15 sessões semanais, somando o público geral e o atendimento às escolas.

Estamos estimando atender a cerca de 60 mil pessoas por ano no Planetário. Faremos o possível para receber o máximo de pessoas e escolas. E estamos esperando público da região não só da Zona da Mata, mas as cidades do Rio de Janeiro próximas da divisas. Várias escolas já agendaram visita.

“[O objetivo é] trazer este conhecimento para mais próximo das pessoas, mostrando que a ciência é acessível”, disse o diretor do Centro de Ciências, professor Elói Teixeira (Foto: Ciro Cavalcanti/Divulgação)

Ciência ao alcance de todos

O Planetário possui projetores que capacitam a visão de planetas, do Sol, da Lua e demais objetos do sistema solar, podendo demonstrar a órbita de satélites, detalhes de superfícies e movimento de estrelas. Serão exibidos dois filmes de 30 minutos cada: “A origem da vida”, para o público geral e “Astronomitos”, para crianças entre 6-12 anos.
O Planetário se soma aos demais projetos em andamento no Centro de Ciências para popularizar o acesso à ciência.

Da mesma forma como o Observatório, o objetivo é atender à pessoa que quer conhecer e nunca teve oportunidade. Vem trazer este conhecimento para mais próximo das pessoas, mostrando que a ciência é acessível

, destacou professor Teixeira.
Além de ser uma atração única para visitantes, também será utilizado de forma didática, tanto com as escolas visitantes como com as disciplinas que envolvem o estudo da Astronomia na UFJF.

“O Centro de Ciências sempre teve preocupação com formação inicial e continuada dos professores. Nossos mediadores são alunos de Licenciatura. Aqui, eles aprendem uma visão diferenciada a ser usada na sala de aula, a partir de uma experiência lúdica, que aproxima a ciência do dia-a-dia e tirando da restrição do livro”, ressaltou Elói Teixeira.

Para o coordenador de Astronomia, o “cinema que reproduz fielmente o céu” oferece mais que entretenimento, um recurso didático para marcar o estudo da área na cidade e região.

Uma criança, um jovem, que já tenha a vocação, a experiência do Planetário pode despertar o interesse e definir os planos de uma carreira futura

, disse Cláudio Teixeira.

“O público em geral vai aprender de uma forma lúdica para que serve. Juiz de Fora não tem uma tradição em Astronomia, estamos começando a criá-la. O Observatório e o Planetário são oportunidades para chamar mais pessoas para trabalhar junto e fomentar conhecimento, que leva ao crescimento não só da área, mas do País”, concluiu.

Equipamento óptico Skymaster ZKP 4 é responsável pela projeção no Planetário da UFJF (Foto: Gustavo Tempone/UFJF)
Equipamento óptico Skymaster ZKP 4 é responsável pela projeção no Planetário da UFJF (Foto: Gustavo Tempone/UFJF)
Equipamento óptico Skymaster ZKP 4 é responsável pela projeção no Planetário da UFJF (Foto: Gustavo Tempone/UFJF)
Equipamento óptico Skymaster ZKP 4 é responsável pela projeção no Planetário da UFJF (Foto: Gustavo Tempone/UFJF)
Colaboração: portal G1 Zona da Mata
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here