Carro encontrado em Ubá pode ter sido usado no assassinato de Marielle Franco

0
542
Equipe da Polícia Civil do Rio de Janeiro faz perícia de carro encontrado em Ubá e que pode ter sido usado em assassinatos (Foto: Larissa Zimmermann/G1)

Vereadora do RJ e o motorista Anderson Gomes foram mortos a tiros na quarta-feira (14/03). Veículo foi localizado em rua do Bairro Industrial.

A perícia da Polícia Civil do Rio de Janeiro chegou no final da tarde deste domingo (18/03) em Ubá para analisar o carro abandonado que pode ter sido usado pelos autores do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. Os dois foram baleados quando passavam de carro pelo Centro do Rio na última quarta-feira (14/03).
De acordo com o delegado Alexandrino Rosa de Souza, uma denúncia anônima feita à Polícia Civil do Rio de Janeiro neste sábado (17/03) indicou a localização do veículo em Ubá.
Fontes ligadas à investigação não identificaram, até o momento, ligação concreta com o assassinato de Marielle.
Ainda conforme o delegado, o veículo foi encontrado na Rua Rio Grande do Sul que fica no bairro Distrito Industrial e é sem saída. A via é próxima ao cruzamento com a Rua Nossa Senhora Aparecida.
Carro é vistoriado por perícia do Rio de Janeiro em Ubá: características levantam suspeitas de que tenha sido usado em assassinato (Foto: Larissa Zimmermann/G1)
A suspeita é que o carro, com placas da cidade do Rio de Janeiro, tenha sido abandonado na última quinta-feira (15/03), mas, como a denúncia só chegou até a polícia no sábado, o veículo foi apreendido por volta das 21h.
No final da tarde, o dono do veículo foi localizado. Conforme a polícia, ele é natural de Ubá e tem passagens por tráfico de drogas. O proprietário, que não teve a idade divulgada, foi levado para a delegacia para prestar esclarecimentos, mas liberado no início da noite.
O delegado regional da Polícia de Ubá, Gutemberg de Souza Filho, disse em entrevista coletiva de imprensa que, a princípio, descarta que o dono do carro tenha algum envolvimento com o crime ocorrido no Rio de Janeiro. Contudo, apenas o laudo pericial pode confirmar se o veículo de fato foi usado nos assassinatos.
Ainda segundo o delegado, o prazo para que o resultado saia depende do setor de criminalística da polícia do Rio. Os peritos não quiseram comentar sobre o caso e foram embora pouco antes da coletiva, realizada por volta das 20h. O carro sob suspeita permanece sob custódia da Civil de Ubá.

Disque-denúncia lança cartaz para pessoas denunciarem sobre o crime (Foto: Divulgação)
Colaboração: portal G1 Zona da Mata/Ubá News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here