Veja como fica o tempo de TV de cada candidato ao governo de Minas

0
146

Coligação do candidato do PSDB ao governo de Minas terá a maior parte da propaganda eleitoral. Fatias definitivas de Marcio Lacerda e Fernando Pimentel ainda têm pendências.

Com 12 partidos coligados, o senador Antonio Anastasia (PSDB) terá 40% da tempo da propaganda eleitoral gratuita na disputa para governador de Minas, que vai de 31 de agosto a 4 de outubro. Apenas os seis partidos das coligações com maiores bancadas federais eleitas – que não necessariamente têm o mesmo tamanho das atuais bancadas – são considerados para o efeito do cálculo.
Caso a Justiça Eleitoral reconheça a candidatura de Marcio Lacerda (PSB) ao governo de Minas e a coligação com o MDB – a situação dele está sub judice, pois há duas diferentes atas enviadas à Justiça Eleitoral – essa chapa teria 33,7% do tempo de antena, já que a coligação soma sete partidos – MDB, PSB, PRB, PDT, Pros, PV e Podemos.

Mas, se prevalecer junto à Justiça Eleitoral o entendimento de que a convenção válida é aquela realizada pela direção nacional do PSB, que indica aliança com o governador Fernando Pimentel (PT) em Minas, o tempo desse partido, que corresponde a 1min10s nos dois blocos do horário eleitoral e 54 segundos diários em inserções – migrará para o petista.
Nessa hipótese, a chapa de Lacerda em coligação com o MDB teria de indicar novo candidato ao governo de Minas, ficando sem a parcela do tempo de antena dos socialistas: passaria a ter 26,4% do tempo total. Se ficar com o PSB, Fernando Pimentel que está coligado com o PR, PCdoB e DC, com o PSB, saltaria de 24% da distribuição para 31,3% do tempo de propaganda gratuita.
O tempo do horário eleitoral gratuito para governador está previsto às segundas, quartas e sextas-feiras, em dois blocos diários na televisão e no rádio, de 9 minutos cada. Somam, ao todo, 18 minutos. Os candidatos também terão 14 minutos de inserções diárias partilhados segundo a mesma proporção: 90% dos quais são distribuídos segundo as bancadas federais eleitas em 2014 e 10% por igual entre os candidatos ao Executivo.
Embora a exposição em si não vença as eleições – há um conjunto de variáveis que interferem nos resultados – o acesso ao tempo de antena dá visibilidade aos candidatos e também lhes proporciona um canal para que comuniquem as suas propostas, visão de mundo, interpretação do desempenho de governos, além da oportunidade para que respondam aos ataques de adversários.
Os candidatos Dirlene Marques (Psol), João Batista Mares Guia (Rede) e Claudiney Dulim (Avante) – têm bancadas federais, nessa ordem de cinco deputados federais, dois e dois – terão acesso a apenas 1% do horário de antena. Sem representação na Câmara, Romeu Zema (Novo) e Jordano Metalúrgico (PSTU) terão acesso apenas ao tempo residual partilhado por igual entre as candidaturas. Cada um soma 13s nos dois blocos do horário eleitoral três vezes por semana, além de inserções que não serão diárias, que já a cada três dias acumularão 30s, tempo mínimo de cada spot.
DOIS BLOCOS Considerando os dois blocos do horário eleitoral gratuito, Antonio Anastasia terá 6min44s três vezes por semana – o equivalente a 3min22s em cada bloco. Também contará com 5min15s em inserções diárias, para apresentar a sua versão sobre Minas e possivelmente o Brasil, numa eleição estadual que promete ser nacionalizada.
Se conseguir manter a sua candidatura, Marcio Lacerda terá 5min49s nos dois blocos – cerca de 2min55s em cada bloco – além de 4min24s em inserções diárias. Se a chapa perder a cabeça, poderá indicar novo candidato em convenção, até 20 dias antes da eleição, passando a contar, sem o PSB, com 4min39s nos dois blocos. Já Fernando Pimentel subirá de 4min1s nos dois blocos para 5min11s, também somando aos 3min12s em inserções diárias que lhe garantem PT, PR, PCdoB e DC mais 54s do PSB.
Fonte: Jornal Estado de Minas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here