Empresa responsável pelas barragens de Miraí e Itamarati de Minas diz que locais estão seguros

0
247
Autoridades visitaram barragem da mineradora Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) em Itamarati de Minas (MG) — Foto: Prefeitura de Leopoldina/Divulgação

Ofício foi enviado para a Câmara de Muriaé depois de pedido. Em janeiro, foram realizadas reuniões sobre as condições da barragem na região de Muriaé, Leopoldina, Itamarati de Minas e Cataguases.

ACompanhia Brasileira de Alumínio (CBA) enviou um ofício para a Câmara Municipal de Muriaé, reiterando a segurança e estabilidade das barragens dos municípios de Miraí e de Itamarati de Minas. O documento foi enviado na última semana após pedido feito pela vereadora Miriam Facchini (PSDB) questionando a situação do local.
Em nota, a CBA esclareceu que as barragens encontram-se licenciadas e foram construídas em etapa única, sem alteamento e com sistema extravasor dimensionado para suportar chuvas decamilenares. A empresa reafirmou o compromisso de transparência e colaboração com o poder público e outras entidades representativas das comunidades onde atua.
De acordo com a vereadora, ela visitou o local após um convite, juntamente com outras autoridades no mês de fevereiro, após o desastre de Brumadinho. “Conheci todo o sistema, durante um dia inteiro, das 7hr até às 17hr. Mas mesmo assim, enviei a CBA um ofício para visitarem o local e atestarem a segurança”.

Reuniões

No início deste ano, a situação de barragens na região de Muriaé, Leopoldina, Itamarati de Minas e Cataguases motivou reuniões e visitas com a mineradora Companhia Brasileira de Alumínio (CBA). A repercussão foi regional após o rompimento da barragem da Vale no Córrego do Feijão, no dia 25 de janeiro, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.
Prefeito de Muriaé se reuniu em Janeiro com diretores da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) para saber sobre as barragens existentes na região — Foto: Prefeitura de Muriaé/Divulgação
Segundo a Prefeitura de Leopoldina, os prefeitos de Itamarati de Minas, Hamilton de Moura Filho e de Cataguases, Willian Lobo de Almeida, e respectivos secretários de Meio Ambiente, junto com o secretário de Meio Ambiente de Leopoldina, Marco Antônio de Toledo Gorrado e o coordenador de Defesa Civil de Leopoldina, Antônio Carlos Dias, visitaram a barragem da Unidade Itamarati da CBA, onde conferiram o funcionamento do sistema de segurança da barragem e reforçaram que todas as unidades estão com licença de operação em vigor.
A CBA explicou, no dia 30 de janeiro, que a barragem em Miraí é de rejeito de mineração e, em Itamarati de Minas, uma das barragens é de rejeito de mineração e a outra de água limpa. Em termos de engenharia, as estruturas das barragens de Miraí e Itamarati de Minas, construídas à jusante, são mais seguras do que as barragens à montante, que utilizam o próprio rejeito na sua construção, como era a de Brumadinho.
Fonte: portal G1 Zona da Mata

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here