www.redeatividade.com

Página inicial

Elas comandam 87% das famílias sem cônjuge e com filhos. IBGE divulga dados de gênero do país relativos a 2010.

31/10/2014 - 14h49m


Os dados de gênero divulgados nesta sexta-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que as brasileiras estão tendo filhos mais tarde e se tornando chefes de família em mais domicílios do país. A análise engloba uma década e compara dados dos censos de 2000 e 2010. Nesse período, a proporção de brasileiras com ao menos um filho diminuiu em todas as faixas etárias mais jovens. Esse seria um dos reflexos do aumento da escolarização delas, que passaram a postergar a maternidade para continuar os estudos.

Em 2000, as mulheres comandavam 24,9% dos 44,8 milhões de domicílios particulares. Em 2010, essa proporção cresceu para 38,7% dos 57,3 milhões de domicílios - um aumento de 13,7 pontos percentuais. O IBGE considera como responsável aquela pessoa reconhecida como tal pelo demais moradores do domicílio.

Quando analisados os dados das áreas rural e urbana, verifica-se que, no campo, ainda é mais comum o homem ser o chefe da família. Nas cidades, elas são as responsáveis em 39,3% das famílias, enquanto que na área rural essa proporção é de 24,8%.

Ao analisar o tipo de composição familiar, as mulheres aparecem como chefes de 87,4% das famílias de pessoas sem cônjuge e com filhos. Essa proporção diminui consideravelmente quando a formação é casal com filho (22,7%) ou casal sem filho (23,8%). 

Trabalho
O estudo mostrou ainda que houve um crescimento maior da taxa de atividade entre as mulheres do que entre os homens no período. A taxa de atividade mostra a proporção da população em idade ativa (16 anos ou mais) que se encontra trabalhando ou procurando trabalho. "É um movimento que começou na década de 70, com as mulheres se inserindo mais no mercado de trabalho", afirma Barbara Cobo, gerente de indicadores sociais do IBGE e coordenadora da pesquisa.

No geral, a taxa se manteve estável: em torno de 64%. No entanto, enquanto a taxa de atividade dos homens caiu de 79,7% em 2000 para 75,7% em 2010, a das mulheres aumentou de 50,1% para 54,6%.

A faixa etária das mulheres que teve um aumento mais expressivo na taxa de atividade foi de 50 a 59 anos - de 39% em 2000 para 50,2% em 2010. Já o maior recuo entre os homens ocorreu na faixa etária de 16 a 29 anos (81% em 2000 contra 74,6% em 2010).

Apesar de os números mostrarem mais mulheres trabalhando, elas ainda enfrentam condições de informalidade. Em todos os grupos de idade ou raça, a taxa de formalização das mulheres teve um crescimento menor que a dos homens e ficou abaixo da taxa nacional de 2010.

O diferencial entre os sexos passou de 3,8 pontos percentuais em 2000 para 6,7 pontos percentuais em 2010. Em 2000, a taxa de formalização deles era de 50%, e delas, 51,3%. Em 2010, a taxa dos homens alcançou 59,2%, enquanto a das mulheres ficou em 57,9%.  

"A taxa de formalização mostra as pessoas que de alguma forma contribuem para a previdência e possuem garantias para que a renda não vá a zero se acontece algo. Ela significa empregos de qualidade", explica Barbara.



31/10/2014 - 10h12m


Na tarde de quinta-feira (30), uma equipe de Policiais Civis da Delegacia de Carangola, chefiada pelo Delegado Glauco Seguro,  deu inicio a uma operação denominada "CARONTE" e em cumprimento a Mandado de Busca e Apreensão expedido pelo Juiz da Comarca. Os policiais apreenderam na zona rural de Fervedouro uma motocicleta roubada e um veiculo Fiat Strada além de uma espingarda calibre 12 municiada e munições do mesmo calibre.
Os Investigadores continuam os trabalhos, no sentido de apurar os crimes de homicídio ocorridos em Fervedouro e região. Participaram dos trabalhos, além do Delegado, o Inspetor Marcos Silva os Investigadores Ronaldo Ramos, Walberto, Merchid Millen, Rafaella Soares, Ned Correa e Benedito Fernando Carbos.


CARONTE: "Na mitologia grega, Caronte é o barqueiro do Hades, que carrega as almas dos recém-mortos sobre as águas do rio Estige e Aqueronte, que dividiam o mundo dos vivos do mundo dos mortos".




Índice variou 0,28% em outubro; em setembro, variação foi de 0,20%. Preços no atacado aceleraram de 0,13% para 0,23%.

30/10/2014 - 08h43m


O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), conhecido como a inflação do aluguel, porque é usado para reajustar a maioria dos contratos imobiliários, variou 0,28% em outubro. Em setembro, o índice variou 0,20%. Em setembro de 2013, a variação foi de 0,86%.
A variação acumulada em 2014, até outubro, é de 2,05%. Em 12 meses, o IGP-M variou 2,96%, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV).
Usado no cálculo do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede os preços no atacado, passou de 0,13% em setembro para 0,23% em outubro.
O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que calcula os preços no varejo e também entra no cálculo do IGP-M, registrou variação de 0,46% em outubro, ante 0,42% em setembro. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo alimentação (0,40% para 0,63%), com destaque para o item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de -6,85% para 2,36%.
Outros itens que tiveram aumento e contribuíram para a alta do IPC foram roupas (-0,11% para 0,69%), tarifa de telefone residencial (-1,85% para 0,16%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (0,43% para 0,67%).
Com peso menor no IGP-M, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou variação de 0,20%. No mês anterior, a taxa foi de 0,16%. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,43%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,34%. O índice que representa o custo da mão de obra não registrou variação.


28/10/2014 - 13h38m


O Ministério da Justiça lançou uma atualização para o aplicativo Sinesp Cidadão que permite dar à população informações de pessoas desaparecidas.

A nova versão foi disponibilizada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ) e traz dados sobre 4 mil desaparecidos. Segundo a assessoria do MJ, a tecnologia é uma possibilidade de o cidadão, sem correr riscos, ajudar os órgãos de segurança pública e se tornar um parceiro da polícia.

As informações contidas no aplicativo correspondem, inicialmente, aos estados do Espírito Santo, de Santa Catarina e Sergipe, que já integram a cooperação com o governo federal. O Rio de Janeiro está em fase de integração e a Bahia e São Paulo estão definindo a tramitação para assinatura e disponibilização das informações.

O aplicativo está disponível para o Google Play . A expectativa é de que até o fim deste ano, 11 estados façam parte do projeto e sejam criadas as versões do aplicativo para IOS e Windows Phone.

O Sinesp Cidadão possibilita também que a população verifique informações sobre veículos roubados e mandados de prisão em aberto. Nos dois casos, o cidadão deve entrar em contato com a polícia para fazer a denúncia. Com a ajuda do aplicativo, a polícia já localizou 87 mil veículos roubados e prendeu 4 mil pessoas que estavam foragidas.




As premiações reconhecem e atestam a qualidade dos serviços prestados pela instituição

28/10/2014 - 10h43m


O Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella alcançou mais duas importantes vitórias: no dia 4 de novembro, recebe, em Belo Horizonte, o Prêmio Mineiro da Qualidade - Faixa Ouro e também já recebeu a confirmação de que foi vencedor do Prêmio Nacional de Gestão em Saúde - PNGS, ciclo 2013-2014, ainda sem data agendada para a entrega.
O PNGS é um prêmio anual de reconhecimento e qualificação das organizações de saúde que buscam excelência em sua gestão, gerando um atendimento adequado à população e resultados superiores de desempenho. A visão do PNGS é servir como modelo de referência para a avaliação e orientação da gestão das organizações de saúde em todo o Brasil. A rigorosa metodologia de avaliação do PNGS está alinhada com as diretrizes do Prêmio Nacional da Qualidade. O Prêmio consistirá de um troféu, diploma de reconhecimento e ampla divulgação na mídia. É oferecido em quatro categorias distintas: Hospitais, Laboratórios de patologia clínica, Clínicas de especialidades médicas e Atendimento Domiciliar.
Já o Prêmio Mineiro da Qualidade - PMQ é um instrumento de avaliação e reconhecimento da gestão das organizações sediadas em Minas Gerais. As organizações que participam no PMQ são avaliadas quanto à aderência do seu sistema de gestão, em relação a um modelo referencial, que é o Modelo de Excelência da Gestão® -MEG.
O objetivo principal do PMQ é motivar e incentivar as empresas do estado a participarem de um processo estruturado e sistemático de busca da melhoria da qualidade de gestão. Como consequência entregam aos clientes internos e externos produtos e serviços de melhor qualidade.