www.redeatividade.com

Página inicial

Maurício Pirozi pretende reduzir número de processos que aguardam julgamento

27/01/2015 - 01h39m


A Vara Criminal de Muriaé passou a ter como titular, desde o último dia 12, o juiz Maurício José Machado Pirozi, de 40 anos – metade deles dedicados à Justiça. Na sexta-feira (23), o magistrado se apresentou à imprensa e às autoridades locais durante uma coletiva em seu gabinete, no Fórum Tabelião Pacheco de Medeiros. 
Apesar do pouco tempo à frente da Comarca de Muriaé, o juiz, que já atuou nas cidades vizinhas de Miraí, Carangola e Cataguases, identificou que a criminalidade, no município, é impulsionada pelo tráfico de drogas: "Este problema passa por uma questão cultural e de política pública. Pai e mãe saem para trabalhar e a criança fica na rua, assediada por criminosos. É neste meio que ela cresce e acaba reproduzindo o que aprendeu, gerando um ciclo", destacou. 
Pirozi também ressaltou que seu compromisso está voltado para a redução dos cerca de oito mil processos que aguardam julgamento e que sua linha de atuação conta com a parceria das autoridades policiais, principalmente em relação aos crimes violentos: "Já me comprometi, de imediato, de me colocar à disposição das Polícias Militar e Civil para o que for necessário e para conceder mandados que permitam a fluidez das investigações. Quanto aos processos em tramitação, eu tenho que agir como juiz, não como justiceiro", pontuou.
O magistrado ressaltou, ainda, que seu objetivo é contribuir para que Muriaé se torne uma cidade mais segura e que, para tanto, irá trabalhar pautado nas leis: "Eu não julgo pessoas, julgo fatos. Então, não importa se o réu é uma pessoa de terno ou se é um maltrapilho. Para mim, ele é uma pessoa e o que será apurado é sua conduta. Eu quero fazer o que é melhor para o povo que eu sirvo, pois sou um servidor público. Quero fazer o melhor para as pessoas de bem", finalizou Dr. Maurício.


26/01/2015 - 23h44m


Muitas regiões brasileiras estão sofrendo, nos últimos dias, com a escassez de água. Na Zona da Mata, cidades como Juiz de Fora e Viçosa já sem encontram em estado de alerta e, em Ubá, a Prefeitura chegou, inclusive, a declarar situação de emergência.
Em todo o país, os reservatórios passam por notáveis decréscimos no volume total de água, atingindo níveis considerados preocupantes. Tais quedas estão ligadas, principalmente, à falta de chuvas (com os piores índices desde 1954) e ao aumento recorde do consumo de energia.  
Neste cenário, algumas autoridades tem levantado a possibilidade do racionamento de água, ou seja, a distribuição controlada deste recurso. No entanto, de acordo com o Departamento Municipal de Saneamento Urbano (DEMSUR), esta medida está descartada em Muriaé. "Temos um abastecimento monitorado, controlado e satisfatório e, hoje, não existe esta preocupação com o abastecimento para as residências do município. Também monitoramos a possibilidade de chuva, o que pode ser muito satisfatório em relação ao nosso volume de água", frisa o diretor Geral da autarquia, Rodrigo Guarçoni.
Atualmente, o DEMSUR conta com quatro reservatórios na Estação de Tratamento de Água (ETA) da Gávea - cada qual com capacidade para um milhão de litros. Todos os dias, cerca de 19 milhões de litros de água tratada vão para as residências de Muriaé. "O controle destes reservatórios é monitorado 24 horas por dia. Durante a madrugada, quanto o nível é atingido, soa um apito, e aí desligamos a bomba da captação, ficando somente na gravidade", explica o coordenador de Produção de Água do DEMSUR, Maurício Marcolongo.
De acordo com Rodrigo Guarçoni, embora Muriaé não corra risco de passar por um racionamento, é fundamental que a população saiba usar os recursos hídricos sem desperdícios: "Não se trata de racionamento no uso da água, mas, sim, de ter a consciência de não desperdiçá-la", finaliza o diretor do DEMSUR.


Documento proíbe lavar locais públicos com água tratada

26/01/2015 - 18h02m


A Prefeitura de Ubá decretou situação de emergência em razão da estiagem e falta de abastecimento de água potável na cidade. O alerta foi anunciado nesta sexta-feira (23), por meio do Decreto Municipal nº 5651. Segundo o documento, durante o período de vigência do decreto, fica proibido lavar calçadas, vias públicas ou quaisquer áreas externas com água tratada.

De acordo com a Prefeitura, o documento autoriza a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem junto à Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil nas ações de resposta e normatização do abastecimento de água potável. Para o prefeito da cidade, Vadinho Baião, a medida de curto prazo vai possibilitar uma ação mais rápida para amenizar o desabastecimento de água.
Antes da publicação do documento, o político visitou a sede da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), em Belo Horizonte, e discutiu medidas para serem executadas a médio e longo prazo para recuperar os mananciais da região e a situação não se repetir na cidade. "Essas questões de médio e longo prazo estão ainda pendentes em função da aprovação, pela Câmara Municipal de Ubá, do nosso plano municipal de abastecimento de água e esgotamento sanitário. Somente após esta aprovação é que poderemos discutir o caminho que a Prefeitura irá tomar", informou Vadinho Baião.
Ainda segundo ele, entre as alternativas, estão a renovação de contrato com a Copasa e a abertura de uma licitação dando oportunidade para a iniciativa privada apresentar melhores propostas para a prestação de serviço. Outra possibilidade é que a Prefeitura assuma a prestação destes trabalhos.


26/01/2015 - 16h37m


Foi divulgado, nesta segunda-feira (26), o resultado parcial do Concurso Público do Departamento Municipal de Saneamento Urbano de Muriaé (DEMSUR). A divulgação foi feita pela Ágora Consultoria, empresa organizadora do Certame, que ofereceu 34 vagas para diferentes cargos, com remuneração entre R$ 724,00 e R$ 4.474,71.
As provas objetivas foram aplicadas no último dia 11. Os recursos relativos a elas podem ser apresentados entre 27 e 29 de janeiro. Já as provas práticas serão realizadas em 10 de fevereiro e 1º de março.
A divulgação do Resultado Final está programada para o dia 20 de março.
O resultado parcial pode ser conferido no site da Ágora, onde constam os nomes dos aprovados e dos suplentes.

26/01/2015 - 14h17m


A Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Muriaé divulgou uma nota de esclarecimento, nesta segunda-feira (26), a respeito de uma suposta instalação do Tiro de Guerra (TG 04/016) no prédio da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Barra.
Segundo a imprensa oficial do município, tal possiblidade não existe. "Na verdade, a ideia da administração é construir a nova sede do Tiro de Guerra em terreno existente ao lado da UPA, que já foi, inclusive, visitado e aprovado por representantes do Exército Brasileiro", esclarece o comunicado.
O assunto surgiu, no último domingo (25), através das redes sociais. "Em comentário realizado na mesma publicação, o autor afirma que 'uma vizinha foi informada' sobre a suposta instalação do TG no local", completa a nota da Assessoria.
Ainda de acordo com o órgão, a nova equipe do Governo de Minas já sinalizou com a possibilidade de assumir parte dos custos mensais para manutenção das atividades da UPA - cujo prédio foi inaugurado há quase dois anos -, dividindo-os com o Ministério da Saúde e com o município. "Caso essa tendência se confirme, a unidade poderá ser aberta no menor prazo possível", finaliza o comunicado.